"Nós gostamos do que fazemos. Pescar é viver."

 
logomarcas4.gif
Salto do Thaimaçu: Pescando no São Benedito e no Teles Pires Imprimir E-mail

Pousada ThaimaçuFomos à Pousada Salto do Thaimaçu, no final de abril.  A Pousada fica no sul do Pará,   na divisa com Mato Grosso, na margem do rio São Benedito, numa grande área de preservação permanente, e é pioneira na prática da pesca esportiva (pesque-e-solte). Fica próximo de Alta Floresta, e o acesso por terra é feito em três horas e meia (ou em 35 minutos por táxi aéreo). A Pousada Thaimaçu oferece agora a oportunidade de se pescar em duas regiões de pesca, em um só pacote.  Pescamos no rio São Benedito e no seu afluente rio Azul,  e numa segunda etapa, pescamos no rio Teles Pires, na região chamada de Sete Quedas, onde a Pousada tem um posto avançado, que fica distante duas horas por terra.


Encontramos o São Benedito ainda cheio, situação anormal para a época. A visão do rio, da porta dos chalés da Pousada, é um espetáculo permanente, com o movimento e o barulho das corredeiras criando um  cenário inesquecível. As acomodações e os serviços da Pousada continuam impecáveis,  e a comida é nota dez.


Começamos a pescaria no rio Azul,  usando iscas artificiais (colheres Johnson e iscas de meia água), porém com o rio mais cheio a água estava literalmente “no mato” e os peixes estavam sumidos.  Mesmo assim, pegamos algumas matrinxãs, uma delas com cerca de quatro quilos (vejam a galeria de fotos) e um pacu curupetê, que atacou a colher. No segundo dia,  pescamos no São Benedito com isca viva (tuviras) e pedaços de peixes, e embora as piranhas estivessem roubando as iscas, começamos a pegar alguns jaús, pequenos no tamanho porém valentes. Um dos companheiros pegou um trairão dos seus dez quilos, e foram fisgadas também algumas cachorras de bom tamanho.


Conforme nosso grupo combinou, no terceiro dia fomos pescar no posto avançado do Teles Pires, saindo da Pousada às seis da manhã, em caminhonetes cabine dupla e tripla, e chegando lá por volta das oito horas.  Esse posto avançado é bastante pitoresco, todo construído em madeira, mas oferecendo conforto, com ventiladores, e também lá a comida estava ótima. Os barcos já estavam prontos, e em pouco tempo saímos para o Teles Pires.  O rio naquela região é muito bonito, com a floresta emoldurando uma correnteza mais forte em alguns trechos, que requer habilidade dos piloteiros.  Em meia hora de navegação rio acima, alcançamos o pé da primeira das corredeiras e saltos que dão a aquela região o nome de Sete Quedas.


Apesar do Teles Pires estar também em nível acima do normal, a pescaria foi realmente produtiva. Registramos a captura de vários jaús e de uma pirarara acima dos 25 quilos, e de um belo caparari,  que também atingiu os 25 quilos, fora outros peixes menores, como cacharas, jundiás, cachorras, e até um armao  (serrudo) de 11 quilos! Os peixes estavam pegando na tuvira, nos anzóis iscados com pedaços de peixes ou com peixes inteiros, e também no minhocuçu.


Depois de dois dias pescando no Teles Pires, na manhã do quinto dia estávamos de volta à Pousada, pescando nesse último dia novamente no São Benedito. O rio continuava com a água alta, porém a pescaria melhorou, com bons resultados com peixes de couro. Dois dos companheiros foram orientados pelo seu piloteiro e fizeram uma pescaria especial: arremessando do barranco, na ponta inferior do gramado bem em frente à Pousada, por volta das seis e meia da noite, eles se beneficiaram da cheia do rio e pegaram dois jaús de porte num poço formado no canto da corredeira, e ainda perderam um terceiro, que não conseguiram segurar e que “enlocou”. Na véspera, os piloteiros haviam saído para pegar iscas, e toparam com um cardume de tucunarés no rio, que atacaram os filés de peixe usados como isca,  tendo como resultado dois belos exemplares que foram trazidos para reforçar a cozinha.


A pescaria na Pousada Salto do Thaimaçu reúne, numa só viagem de pesca, duas pescarias espetaculares em pesqueiros distintos,  ótimas acomodações e ótimo serviço, tratamento cordial dos empregados e piloteiros competentes. Oferece também oportunidades incomuns de contato com a natureza, seja pelas matas da região, a beleza dos rios, e até mesmo pelos animais selvagens que circulam soltos na Pousada, como os mutuns e os patos selvagens, sem falar na anta Fofão, uma órfã criada solta desde pequena e que quase toda tarde vem comer sobras de verduras e legumes na porta da cozinha da Pousada. Essa é uma viagem de pesca que traz lembranças para sempre.

Confira a galeria de fotos

 
 

English Speaking Anglers

You are welcome!

 We can answer your questions in English.
Just write us.
Our e-mail address is: guiasdepescabh@gmail.com
We will be glad to help you in your inquiries about sport fishing in Brazil (freshwater).

Enquete

Pesque-e-Solte: Você é a favor de pescar e soltar o peixe?
 

Recomendamos:

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner